Relatório da visita da FAO aos sistemas tradicionais e agroecológicos de erva-mate


O CEDErva acompanhou a visita de representantes da FAO Brasil para conhecer a produção tradicional e agroecológica de erva-mate no Paraná. A visita faz parte de uma estratégia para obter reconhecimento dos cultivos tradicionais e agroecológicos de erva-mate nas propriedades rurais de agricultores familiares e comunidades faxinalenses, quilombolas e de terras indígenas do Centro-Sul e Sudeste do Paraná como patrimônio agrícola mundial. Este reconhecimento é concedido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) no âmbito do programa Sistemas Importantes do Patrimônio Agrícola Mundial (SIPAM). São modelos exemplares que aliam a produção agrícola à manutenção de tradições, valorização social, saberes e técnicas populares, bem como a preservação do meio ambiente.


A comitiva contou com representantes da FAO no Brasil e do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná). A visita técnica aconteceu no dias 10 e 11 de dezembro de 2021 para conhecer propriedades rurais e conversar com agricultores e agricultoras que mantêm sistemas de cultivo de erva-mate desenvolvidos com bases em tradições comunitárias e princípios agroecológicos nos municípios de Irati, São Mateus do Sul e São João do Triunfo. Também fez parte da programação um evento público com autoridades locais para formalizar a candidatura e debater sobre os sistemas tradicionais e agroecológicos de produção de erva-mate. A comitiva foi acompanhada por representantes dos agricultores, Ministério Público do Trabalho no Paraná (MPT-PR) e pesquisadores ligados a instituições de ensino e pesquisa paranaenses.


O relatório disponibilizado a seguir reúne o itinerário da missão, bem como as atividades desenvolvidas e temas levantados durante a visita. O documento trata, ainda, sobre a importância do conhecimento tradicional no manejo da erva-mate para as famílias de erveiros e para a cultura regional. A produção de erva-mate do Centro-Sul e Sudeste do Paraná envolve cerca de 7 mil estabelecimentos rurais da agricultora familiar e de comunidades tradicionais. Cultivados em modo agroecológico junto a remanescentes de Floresta com Araucária, do qual a planta é uma espécie nativa, agregam conhecimentos e saberes tradicionais e ancestrais.


“Os membros da comitiva puderam ouvir os relatos dos membros da família e observar todas as etapas que envolvem desde o sapeco, a secagem, a trituração, a separação, a torrefação – no caso da produção de chá mate –, a embalagem e selagem do produto. Além disso, parte da comitiva pôde realizar uma caminhada pelo erval manejado há três gerações pela família e conhecer os tipos de manejos e podas de erveiras", página 13 do Relatório.


Para ler o relatório na íntegra, clique em Relatório da visita da FAO para conhecer à candidatura do projeto SIPAM dos sistemas tradicionais e agroecológicos de erva-mate na floresta com araucária




Fotos: Brenda Rotter, Fernando Bertani, Ricardo Gomes Luiz / Equipe CEDErva